Páginas

quinta-feira, 9 de janeiro de 2014

RITUALS

repete-se desde que me lembro de usar carteira. as coisas, e por coisas entendam-se o mais variado tipo de bugigangas, vão sendo enfiadas para dentro desse espaço, mais ou menos pequeno porque o tamanho é mesmo o que não importa: com jeitinho, desconfio que cabe lá uma hiena dentro. todos os dias, sem qualquer exceção, consigo enriquecê-la mais e mais, deixando-a sem espaço para respirar e a rebentar pelas costuras.

e depois chega o dia D. o dia em que decido que afinal até quero ser arrumada, organizada. e que a partir dali a vida, pelo menos a da carteira, vai ter um final mais feliz. e então perco uma hora, senhoras e senhores, a arrumar tudo, de uma ponta à outra. fica um brinco e leve-leve-leve.

mas há dias em que o dia D não chega, e por já lá ter uma hiena dentro, não cabe mais-nada. foi hoje.. graças a uma bendita greve de metro que me devolveu uma certa nostalgia porque durante as férias de Natal não vivi nenhuma, e fazem falta já que são parte integrante da biografia de todos os maquinistas do Metro de Lisboa, tive que tirar de casa o Smartie, esse carro tão egoísta como jeitoso. ao chegar a um semáforo, e na tentativa de não passar o verde tinto, travei a fundo e eis senão quando a minha carteira dispara em queda livre até ao chão do lugar do morto. o resultado não foi bonito e a quem visse de fora, várias coisas poderiam sugerir o aparato: ou que estava a dar um cocktail de iogurtes naturais, ou que ia abrir uma loja de batons - eram só uns 4, ou que tinha pago as contas do mês dado o rol de faturas, ou então que era simplesmente ca-ó-ti-ca.

assim, o dia D chega obrigatoriamente hoje onde tentarei não perder mais de 10'. e já me conhecendo, daqui a dois dias - um claro otimismo para as poucas horas que isto costuma durar - e depois de pagar alguma coisa, vou arrumar o cartão num qualquer bolso da carteira ao invés do porta-moedas. e abre-se novamente a caixa de pandora, que só deverá ser fechada daqui a sensivelmente 3 semanas. ou antes, se a hiena estiver mais anafada depois dos doces de Natal.

*a imagem tem tudo menos alguma coisa a ver com o post. é só o resultado do arrependimento supremo por não ter comprado, quando o poderia ter feito, esta placa para o meu enchoval. a pregar na parede ao pé da cama, imediatamente em frente ao lado dele

6 comentários:

Rosarinho MB disse...

não sei se somos nós as duas muito parecidas ou se é sensação comum a todas as mulheres...

A minha carteira também anda sempre caótica. No outro dia deixei-a cair à frente da Leonor CF e até tive vergonha... Pelo chão ficou tudo espalhado, até arroz e areia. Volta e meia arrumo todas as carteiras e, como há sempre umas moedas espalhadas em cada uma, junto uns bons trocos! E sou feliz!
(ahahah)
p.s.- amei a imagem!

Rosarinho MB disse...

não sei se somos nós as duas muito parecidas ou se é sensação comum a todas as mulheres...

A minha carteira também anda sempre caótica. No outro dia deixei-a cair à frente da Leonor CF e até tive vergonha... Pelo chão ficou tudo espalhado, até arroz e areia. Volta e meia arrumo todas as carteiras e, como há sempre umas moedas espalhadas em cada uma, junto uns bons trocos! E sou feliz!
(ahahah)
p.s.- amei a imagem!

Firanghi disse...

Ahh essas moedinhas são tão mas tão boas! E o arroz.. A minha tem sempre mas sempre arroz e eu ainda não percebi como é possível!

Anónimo disse...

Só vi isto agora!!! Imagino TÃO bem essa carteira a cair para o chão do carro e a desmontar-se totalmente! Só para mostrar como, em algumas coisas, somos mesmo diferentes, TODOS os dias eu perco um minuto a arrumar a carteira, para assegurar que nunca chegará a esse ponto :) Paranóia?? Nãão...

Firanghi disse...

Arghhhh! Ensina-me a ser como tu, please! O que mais me roubaste nos 9 meses que partilhámos dentro daquela barriga, hein?! :)

Anónimo disse...

Nada! Ficaste com tudo o resto sua ladra!!! :)